DESTAQUES

domingo, 13 de setembro de 2009

Nova Coletânea ganha estímulo de grandes líderes da Literatura Contemporânea

Na foto: Bruno Ramos (MG),Carlos Conrado (SE), Abelardo Resende (MG) e Valdeck (BA)


"Um mais um é sempre mais que dois", já dizia o nosso cancioneiro popular. No estande do escritor Valdeck Almeida de Jesus, do mesmo modo essa máxima mostrou-se autêntica e atual. Não foram fáceis os caminhos desses companheiros, como também não têm sido os de nosso projeto. Ver e crer não basta... É preciso participar, entender que a semente está posta e precisa germinar sob os cuidados de todos. O projeto não é de UM, mas de todos. Não venho a estas páginas para oficiar alguma vanglória e, se está se faz merecer por alguém , é ao escritor, o novo autor, a quem se deve esse direito. Digo, principalmente, daquele que cultiva o bom hábito de vir a virtualidade para dar vasão ao melhor da arte e da expressão que em si existe. Sim, àquele que se engaja e se compromete com a nossa causa que é de propiciar mais leitura e produção cultural à sociedade. É por ele que chegamos às páginas de um livro. É pelo que escreve que me motivo a dar mais um passo. Sem a sua fidelidade à comunidade literária, ficaria inerte o editor, o organizador e as máquinas que levaram as idéias do coletivo às mãos dos nossos leitores. Num contexto maior, impossível não se fazer sensível a este apelo interior. Todos querem ouvir quem tem algo muito importante a falar... E os escritores da Nova Coletânea têm. Esse é o nosso diferencial.

Grandes líderes se formam entre nós, num voluntariado artístico engajado, mostrando a que vieram. São outros artistas, outros editores, gente que não ficou muda diante dos inúmeros obstáculos que encontrou. Um bom exemplo no país é o do escritor Valdeck Almeida de Jesus. Cidadão que se mostrou até hoje como um Davi em combate. Não sabem os amigos da contemporaneidade quantas lutas enfrentou este homem para levar as palavras ao assomo das ações. Ele, sim, longe da aparência franzina e da tranquilidade que emana de suas palavras, um verdadeiro gigante, um cidadão em todo o rigor ético que a palavra impõe. Felizmente, tal escritor tem, com certeza, que celebrar muitas vitórias, mas não menos desafios e lutas. Aconselho a todos a leitura do seu livro "Memorial do Inferno. A Saga da Família Almeida no Jardim do Éden" onde narra o começo de tudo que alimentou os seus feitos. Valdeck, Carlos Conrado e Abelardo Resende revelaram-se como verdadeiros desbravadores, alcançando mais espaço para os que estão à margem.

Em Sergipe, o amigo das letras e artes plásticas, Carlos Conrado também tem feito sua parte e o que não lhe falta é a capacidade de ousar e experimentar o novo. Da Arcádia dos sergipanos à Bienal de Salvador, um passo após o outro, ganha estrada e visibilidade para os trabalhos dos seus cooperados. Junto a esses grandes líderes tenho de crer que estamos somente começando.

Que venham outros ao nosso reino de poetas, crônistas, contistas, ensaístas, cinéfilos e teatrólogos!

Que venham empresários, jornalistas, blogueiros!

Que venha você, visitante desta página...

Venha e veja!...

Algo está acontecendo... Uma nova realidade foi semeada... Para colher devemos todos fazer a nossa parte...

Acredita? Então faça a sua!... Divulgue, publique, some-se a esses que dão eco à sua voz!

Venha para a Nova Coletânea!
Von: Bruno Resende Ramos

Nenhum comentário:

Postar um comentário