DESTAQUES

sábado, 3 de abril de 2010

Na solidão



Na solidão

10/08/09

Solidão!... para quê o medo? Tenho olhos dormidos e uma sede de vinho – apenas tinto. Tinjo a cor dos meus neurônios para que pareçam e tenham o brilho das estrelas apagadas. Sim! Elas brilham. Mas nem por isso precisam lhes dizer nada! Game Over para as perguntas tolas. Cultur, cultuar a kunst brasileira seria bom. Cansei de produzir obras, apenas continuarei com minhas gravuras na privada.

Comecei o dia com uma dor de cabeça danada! Quem manda viajar aeronauta?! Eu não entendo, muriçocas me perturbam, Never Moore muriçocas!... Baudelaire é o nome da minha sombra.

Tenho uma intensa relação com o silêncio. Quero ouvir conselhos! Se não de Mário talvez de Ilma. Olho o retrato em cima de minha geladeira que me faz dizer: - I want you! Pois é moça, como diz o Raul, nada de moscas pousando em minha sopa!... Tenho sede! Como diz Dylan e o Tio Sam: I want You.

Carlos Conrado

Um comentário:

  1. Congratulations, very good!
    Ótimo texto, muito divertido e articulado.
    Abraço!

    ResponderExcluir